A Filha do Sangue.

Título: A Filha do Sangue
Série: As Joias Negras 
Volume: 1
Páginas: 432
Autor: Anne Bishop
Ano: 2014
Editora: Arqueiro (cortesia da mesma)
Compre: Submarino - Americanas - Saraiva 
Adicionem: Skoob
Sinopse: O Reino Distorcido se prepara para o cumprimento de uma antiga profecia: a chegada de uma nova Rainha, a Feiticeira que tem mais poder que o próprio Senhor do Inferno. Mas ela ainda é jovem, e por isso pode ser influencidade e corrompida. Quem a controlar terá domínio sobre o mundo. Três homens poderosos, inimigos viscerais - sabem disso. Saetan, Lucivar e Daemon logo percebem o poder que se esconde por trás dos olhos azuis daquela menina inocente. Assim começa um jogo cruel, de política e intriga, magia e traição, no qual as armas são o ódio e o amor. E cujo preço pode ser terrível e inimaginável.

Oie pessoal!

Hoje trago a resenha do livro A Filha do Sangue, de Anne Bishop, lançado pela Editora Saída de Emergência Brasil, cortesia da mesma.

O livro conta a história de uma garota que, no início, tem por volta de doze ou treze anos, diz à lenda que essa garota seria portadora de um grande poder, poder esse que nunca ninguém já o carregou.

Ela chega para mudar as coisas no Mundo Distorcido, todavia ela contará com a ajuda de três inimigos viscerais: Saetan, Lucivar e Daemon. 

Será que essa menina de olhos azuis conseguirá mudar as coisas no Mundo Distorcido?

Bom pessoal, hoje a minha introdução não ficou lá muita coisa, mas vamos para a resenha agora?

... Já de cara, quando começamos a ler esse livro, encontramos muitas coisas diferentes em seu enredo, como por exemplo, nós na maioria das vezes dizemos: vai com Deus, ou vai pela sombra.

No livro encontramos essas mesmas expressões, escritas de uma maneira diferente como, por exemplo: Que as Sombras lhe protejam.

Outras coisas diferentes no livro é que ela (a autora) cria um universo só dela, pois não ouvimos falar de Anjos ou Demônios, ou de Deus e ou do Diabo. 

Mas sim só de Sombras, Teias, Machos de Sangue ou Fêmeas de Sangue.

Ah e não podemos esquecer o principal o livro se passa em um – já que eu perdi a palavra, vamos usar governo ok? – governo Matriarcal, o que significa as mulheres MANDAM! Uhuuuu

Todos os governos ou dimensões que constam no livro são comandados por mulheres, e os homens bem dizer acabam se tornando escravos – o que no livro é uma profissão muito respeitável, e em alguns casos, desculpem-me a palavra, se tornam prostitutos!

A narrativa do livro é ótima, todavia temos que prestar bastante atenção na história, pois cada capítulo e suas ramificações contam a história de um personagem, em um lugar e fazendo tal coisa, então quem ler e estiver no mundo da Lua com certeza se perderá na trama.

E falando em ramificações de capítulos, vocês já devem ter lidos aqueles livros onde tem assim: Capítulo Dois, Jacob. Bom assim é fácil certo? 

Não cansa e instiga a curiosidade, já nesse livro e em outro que eu li ele é assim: Capitulo Dois, 1/Jane. E assim ficam, 2/ Pedro etc..

Eu acredito que nesse jeito de montar os capítulos acaba se tornando cansativa a gente não consegue ver a história passar, parece que quanto mais a gente passa as páginas, mais longa essa ramificação fica, dai quando passamos para o outro capitulo a mesma coisa acontece com as ramificações do capítulo e assim por diante.

Enfim creio eu que desse jeito que eles montam os capítulos dificulta um pouco a leitura do livro em si, pois ele acaba se tornando cansativo de ler!

Não sei vocês o que acham disso, mas quem dizer comentar sobre isso está ai!

Espero que gostem do livro tanto quanto eu!

Até uma próxima!

Bjs, Nay =D