A Garota do Lago

Título: A Garota do Lago
Páginas: 296
Autor: Charlie Donlea
Ano: 2017
Editora: Faro Editorial (cortesia da mesma)
Compre: Submarino Americanas - Saraiva 
Adicionem: Skoob
Sinopse: ALGUNS LUGARES PARECEM BELOS DEMAIS PARA SEREM TOCADOS PELO HORROR...Summit Lake, uma pequena cidade entre montanhas, é esse tipo de lugar, bucólico e com encantadoras casas dispostas à beira de um longo trecho de água intocada. Duas semanas atrás, a estudante de direito Becca Eckersley foi brutalmente assassinada em uma dessas casas. Filha de um poderoso advogado, Becca estava no auge de sua vida. Atraída instintivamente pela notícia, a repórter Kelsey Castle vai até a cidade para investigar o caso. E LOGO SE ESTABELECE UMA CONEXÃO ÍNTIMA QUANDO UM VIVO CAMINHA NAS MESMAS PEGADAS DOS MORTOS... E enquanto descobre sobre as amizades de Becca, sua vida amorosa e os segredos que ela guardava, a repórter fica cada vez mais convencida de que a verdade sobre o que aconteceu com Becca pode ser a chave para superar as marcas sombrias de seu próprio passado...

" Só fui para conversar. Eu a amava. Apesar de tudo o que ela fez."
Oie pessoal! Tudo bem com vocês?

Hoje trago a resenha do livro A Garota do Lago, que me deixou completamente desestabilizada, mais que o normal que um livro pode me deixar.

Acredito que todos aqui já conheçam um pouco sobre a história desse livro, mas irei dar uma pincelada por cima para quem ainda não conhece ficar por dentro das coisas.

O livro conta a história de duas pessoas (eu enxerguei a história assim) a de Becca e a da Kelsey.

Becca era uma estudante de pós-graduação que foi brutalmente assassinada, e deixou todos com uma grande incógnita nas mãos, pois ninguém sabe quem cometeu tamanha brutalidade com ela e o porquê e para ajudar ainda mais o caso existem pessoas que estão encobrindo o crime.

E é aqui que entra Kelsey que é uma grande jornalista criminal, que foi mandada para Summit Lake para se recuperar de um acontecimento traumático de sua vida, seu chefe pensou que a mandando para lá, ela se envolveria no trabalho e se recuperaria e voltaria mais tranquila para casa.

Mas ninguém contava nem ela mesmo, que Kelsey se envolveria tanto no crime e na história em si da vida de Becca que tudo viraria numa bola de neve e ela se meteria numa grande encrenca.

Esse livro é dividido em quatro partes cruciais para o desenvolvimento dele, e também é divido entre presente e passado pela visão de nossas duas personagens principal.

Enquanto em um capítulo encontramos o presente, com a Kelsey bisbilhotando pela cidade atrás de pistas para o seu artigo, no outro encontramos a vida de Becca antes de seu assassinato.

Pensem numa história complicada, não no sentindo de ler e entender as coisas, mas sim na complexidade dos fatos da vida de Becca.

Ela sempre foi bem de vida, sempre teve do bom e do melhor e tudo o que queria na hora, e uma grande femme fatale.

Pensem numa mulher que tinha todos os homens aos seus pés só nem um estralar de dedos era ela, acredito como sua melhor amiga que ela não tinha noção disso, mas esse ponto é crucial para algumas pistas falsas que o autor nos joga durante o livro. 

Sabemos que ela tem um namorado, mas não quem. 

Encontramos ela conversando com uma pessoa escondida num café, mas não entendemos realmente o que eles são.

Encontramos Becca também conversando até o cair da noite com outro homem, mas novamente não sabemos o que eles são realmente, se é só amizade ou se tem algo mais envolvido nisso tudo?

São esses pequenos detalhes que vamos montando o quebra-cabeça que é essa história.

O autor soube nos jogar várias pistas falsas no decorrer do enredo e eu quase cai em uma igual a um patinho, mas infelizmente para mim ler suspense é como beber água.

Ou seja, descobri quem era o assassino antes mesmo do Charlie revelar, ás vezes isso é muito sem graça, em outros momentos nos faz sentir parte do livro, que foi esse o caso com A Garota do Lago.

O autor nos descrevia o essencial e ás vezes um pouco mais que isso, mas que por um milagre não fez diferença para mim, para que nos sentíssemos parte da história.

Parecia que quanto mais eu lia, mais perto dos personagens eu estava, tanto da busca da Kelsey por respostas, quanto da vida de Becca.

Se elas andavam, aprontavam ou fizessem qualquer coisa eu estava lá no lado delas, observando tudo a poucos metros de distância e isso foi uma experiência maravilhosa para mim.
Eu não sabia o que esperar desse livro, só ouvia falar muito bem da história e sentia um editor pairando e esperando pelas resenhas do livro ansiosamente.

Demorei um pouco mais do que o normal para realizar a leitura do livro, pois parecia que quanto mais eu lia mais páginas tinha, mas isso no final foi ótimo, pois senti que estava completa ao finalizar a leitura.

Charlie Donlea tem um jeito próprio de descrever e desenvolver suas histórias e cenas, quando leio um suspense dificilmente sinto o que senti lendo essa história.

Ele conseguia fazer com que sentíssemos o impacto de suas cenas na nossa alma, ficamos completamente desestabilizados e transtornados ao final de cada cena, da leitura em si.

Até agora não consigo aceitar quem cometeu o assassinato, eu tinha uma visão completamente diferente dele e quando o autor revelou e concretizou minhas dúvidas eu fiquei simplesmente chocada.

Mas foi ai que me veio uma teoria da conspiração bem legal e montada por mim! (risos)

Senti acompanhando a leitura desse livro, que o foco em si não era na Becca e sim em quem cometeu o assassinato dela.

Pois, quanto mais fundo a Kelsey ia para encontrar o verdadeiro motivo do assassinato da Becca, víamos o outro lado da moeda por detrás das coxilhas.

Se o autor tivesse pensado na hipótese de narrar o livro pela visão de três personagens ele teria definitivamente ficado melhor do que já é!

Porque assim, teríamos a visão dos três e dos acontecimentos por outros olhares, não nego que esse momento aconteceu, mas bem pelo final do livro, sendo assim tivemos male mal uma ideia do quão transtornado o personagem estava para ter cometido o crime.

E o pior de tudo, a convicção de que ele tinha ido lá somente para conversar era a pior parte, pois é ai que vemos o quanto nossa mente nos prega peças!

No que elas nos planta na cabeça e acabamos por acreditar, aquela mentira básica para si mesmo. 

Foi um livro triste de acompanhar, mas ao mesmo tempo interessante pela parte psicológica dele.

Por que tivemos uma visão plena dos acontecimentos pelas buscas da Kelsey, posso não ter falado muito nela, mas ela foi muito importante.

O autor conseguiu fazer com que sentíssemos na pele o que aconteceu com a jornalista e também com a Becca.

Mesmo acontecimento, com rumos tão diferentes e não era para menos que a Kelsey se sentisse ligada a outra personagem, elas passaram pelas mesmas coisas, sentiram as mesmas coisas e no fim uma sobreviveu e a outra não.

E ai que entra a parte psicológica que citei ai em cima, Kelsey enquanto procurava pelas pistas se perguntava porque que aquilo tinha acontecido com ela, porque ela sobreviverá e a outra não.

Mas o pior não é isso e sim aquela parte onde ela passou por todo o interrogatório como se fosse culpada pelo acontecimento, como se ela tivesse procurado por aquilo.

Charlie Donlea teve a incrível ideia de escrever um livro, nos mostrando o que as mulheres passam o que elas sentem naquele momento, eu senti enquanto lia e me coloquei no lugar delas e não gostei do que encontrei.

A Garota do Lago foi o segundo suspense/ thriller psicológico que li e amei, todos sabem que fujo desse tipo de livro, mas esse... Esse não tem palavras para dizer o quão fantástico ele é!

Não nego que quando ele lançou eu pensei que estivessem fazendo tempestade em copo da água, mas quanto mais eu me aprofundava na história mais eu a amava.

Ela despertou um lado jornalístico meu há muito tempo adormecido, eu só apaixonada por tudo que envolve crimes, pode parece meio sadismo meu, mas é algo que me interessa, entender o porquê ele foi cometido, o que levou aquilo, só a parte de fazer a autópsia em um cadáver já me anima.

Então pensem no quanto eu amei esse livro, por simplesmente acompanhar as investigações e entrar a fundo na cabeça dos personagens, principalmente do assassino!

É aquele tipo de livro que eu saio gritando para Deus e o mundo ler, para conhecerem a história e se apaixonarem por ela como eu.

Mas não se enganem, ela é triste a quantidade de mortes que acontecem num curto período de tempo é de tirar qualquer um do chão. É uma história cheia de reflexões por trás de todos os acontecimentos.

Principalmente faz com que paramos para pensar na vida, não somente da nossa, mas naquelas que sobreviveram a um ataque como o da Kelsey, das vidas dos familiares que perdem seus entes queridos para os assassinos etc.

Enfim, espero que tenham gostado da dica de hoje, acho que me enrolei um pouco no desenvolver da resenha, mas fiz o possível para não dar nenhum spoiler para vocês, quem quiser saber mais aprofundado da história é só entrar em contato comigo que terei o maior prazer de conversar com vocês sobre ela!

Ps: Para quem não conhece Summit Lake pelos filmes e séries que ela aparece, esse livro é uma ótima dica para conhecer essa cidade encantadora! 

Até a próxima galera!

Bjss, Nay =D